Há 50 anos era lançado “Com 007 Só Se Vive Duas Vezes”

0

Há 50 anos era lançado Com 007 Só Se Vive Duas Vezes, o quinto filme de James Bond estrelado por Sean Connery na pele do agente secreto com licença para matar. O título foi retirado de um poema citado no livro de Ian Fleming: “You only live twice, once when you born, and once when you look death in the face”.

No filme, uma aeronave espacial americana e uma russa somem sem deixar rastros. A tensão entre os governos coloca as duas potências mundiais sob a ameaça de um confronto nuclear. Para investigar a crise, James Bond é enviado ao Japão, e precisa forjar sua própria morte para despistar os inimigos, e descobrir exatamente quem está por trás da trama.

jbbr_yolt_poster

Os produtores Albert R. “Cubby” Broccoli e Harry Saltzman queriam que Com 007 Só Se Vive Duas Vezes fosse capaz de superar a expectativa de uma audiência saturada com concorrentes de Bond nos cinemas e na televisão. Inicialmente, Broccoli e Saltzman contrataram o escritor de TV Harold Jack Bloom para adaptar o livro de Fleming. Para o roteiro final, eles convidaram o conhecido roteirista Roald Dahl, amigo de longa data de Ian Fleming, que já havia compartilhado com ele algumas idéias durante os anos. Em 1966, o desenvolvimento do roteiro tornou-se um esforço em grupo.

Com orçamento de US$ 9,5 milhões, uma soma astronômica para a época, Cubby chamou Lewis Gilbert para dirigir o filme. Gilbert estava em alta após dirigir o aclamado “Alfie” de 1966. A experiência de Gilbert com filmes épicos provou que ele poderia lidar com uma produção do tamanho de uma aventura de Bond.

Com 007 Só Se Vive Duas Vezes © 1967 Danjaq LLC, United Artist Corporation. Todos os Direitos Reservados.

Para interpretar Tiger Tanaka, os cineastas contrataram o ator japonês Tetsuro Tamba, e a atriz alemã Karin Dor como a vilã Helga Brandt. Duas atrizes japonesas, Akiko Wakabayashi e Mie Hama deram vida às personagens Aki e Kissy, respectivamente. As atrizes não sabiam falar inglês antes das filmagens. Akiko havia sido contratada para interpretar a personagem Kissy, enquanto que Mie iria interpretar a personagem Aki. Porém, como Mie estava com muita dificuldade no aprendizado de inglês, os papéis de ambas terminaram sendo trocados, para que ela pudesse interpretar no filme uma personagem com menos falas.

Para o importante papel de Blofeld, os produtores inicialmente escalaram o ator tcheco Jan Werich, mas logo após o início das filmagens, o diretor sugeriu que Werich fosse substituído por uma figura com aparência mais sinistra, então Donald Pleasence assumiu o papel. Pleasence usou uma cicatriz no rosto com a pele enxertada e parcialmente esticada em um olho, para completar o olhar misterioso do vilão. A face de Blofeld foi revelada pela primeira vez neste filme.

Com 007 Só Se Vive Duas Vezes © 1967 Danjaq LLC, United Artist Corporation. Todos os Direitos Reservados.

O diretor de arte Ken Adam teve um papel essencial no desenvolvimento do filme, viajando até o Japão com Broccoli, Saltzman e Gilbert à procura de locações. Em Tóquio, eles encontraram o editor Peter Hunt, que retornou a franquia como diretor de 2ª unidade.

Enquanto buscavam locações no Japão em um helicóptero, os cineastas descobriram uma série de vulcões. Broccoli sugeriu que o vilão poderia estar escondido em uma base dentro de um deles. Ken Adam logo elaborou idéias para o maior set coberto já construído, o esconderijo de Blofeld dentro de um vulcão.

Com 36.5 metros de altura, o set foi construído nos estúdios Pinewood, na Inglaterra. O cenário exigiu mais aço estrutural do que o Hotel Hilton em Londres, e ainda contava com um monotrilho e um telhado retrátil, grande o suficiente para permitir a entrada e saída de um helicóptero.

Com 007 Só Se Vive Duas Vezes © 1967 Danjaq LLC, United Artist Corporation. Todos os Direitos Reservados.

Com 007 Só Se Vive Duas Vezes © 1967 Danjaq LLC, United Artist Corporation. Todos os Direitos Reservados.

A sequência no vulcão de Blofeld foi um grande desafio. Primeiro, o premiado diretor de fotografia Freddie Young teve que iluminar uma área de 137 metros para os ângulos abertos. Foi preciso usar todas as luzes disponíveis nos estúdios Pinewood para chegar a iluminação necessária. O roteiro ainda exigia que ninjas descessem pela entrada do vulcão usando cordas, em uma altura equivalente a um prédio de 12 andares. O futuro diretor de 2ª unidade da série, Vic Armstong, que na época trabalhava como dublê, usou um pedaço de tubo de borracha em torno da corda para desacelerar sua decida, e foi o primeiro a chegar até o chão.

John Barry retornou para a trilha sonora do filme, escrevendo uma música-tema assustadora interpretada por Nancy Sinatra com letras de Leslie Bricusse.

Broccoli e Saltzman criaram a aventura de James Bond mais carregada de fantasia da década de 1960, um filme épico que refletiu no imenso sucesso global de 007. O filme foi um sucesso nas bilheterias e representou o ápice de um período de incrível produtividade para os produtores. Em pouco mais de quatro anos e meio eles lançaram cinco aventuras de 007, criando um fenômeno inigualável na história do cinema.

Via 007.com

Compartilhe.

Sobre o Autor

Criador e editor do site James Bond Brasil, Marcos Kontze é jornalista e fã do personagem há 20 anos, desde o lançamento do game "GoldenEye 007" para Nintendo 64 em 1997. Para Marketto (como também é conhecido), o melhor filme da série é "007 - O Mundo Não É O Bastante", o primeiro que assistiu no cinema...sete vezes.