Lewis Gilbert, diretor de três filmes de James Bond, morre aos 97 anos

0

Foi divulgado nesta terça-feira que Lewis Gilbert, responsável por três dos mais icônicos filmes de James Bond, morreu aos 97 anos. O diretor faleceu na sexta-feira, dia 23 de fevereiro, mas sua morte só foi divulgada hoje.

Ken Adam, Albert “Cubby” Broccoli e Lewis Gilbert no set de “007 – O Espião Que Me Amava”© 1977 Danjaq LLC

Lewis Gilbert trouxe uma nova esfera de ação e um senso de humor irônico para os filmes de James Bond, introduzindo elementos exóticos e uma camada de fantasia para seus filmes de 007.

Nascido em uma família de músicos, começou sua carreira como ator infantil, e embora o produtor britânico Alexander Korda tenha oferecido uma oportunidade na Academia Real de Artes Dramáticas, Gilbert se interessou mesmo pela direção. Em 1939, trabalhou como assistente em “A Estalagem Maldita” de Alfred Hitchcock.

Quando a Segunda Guerra Mundial estourou, juntou-se à RAF (Royal Air Force), incorporado junto da unidade Air Corps dos EUA, onde dirigiu vários documentários. Após a Guerra, continuou a escrever e dirigir documentários, antes de assumir produções com baixo orçamento. Eventualmente conseguiu ser escalado para produções maiores, e fez seu nome com o clássico “Como Conquistar as Mulheres” (Alfie, 1966), estrelado por Michael Caine. Pelo filme, Gilbert recebeu uma indicação de Melhor Diretor no Globo de Ouro, e mais cinco indicações no Oscar, incluindo Melhor Filme.

No mesmo ano, recusou a oferta para dirigir Com 007 Só Se Vive Duas Vezes, mas aceitou depois que o produtor Albert R. “Cubby” Broccoli o convenceu dizendo: “Você não pode desistir desse trabalho. É a maior audiência do mundo”. O filme trouxe um novo olhar para a série, e o fez retornar uma década depois para dirigir 007 – O Espião Que Me Amava, imortalizando Roger Moore no papel de James Bond.

007 – O Espião Que Me Amava © 1977 Danjaq LLC, United Artist Corporation. Todos os Direitos Reservados.

Após o sucesso do filme anterior, Gilbert voltou para dirigir 007 Contra O Foguete Da Morte, que contou com filmagens no Brasil. Apesar de ter sido bem-sucedido nas bilheterias, o longa foi criticado pelas suas extravagâncias. Durante as gravações no Rio de Janeiro, disse à BBC: “Bond é um grande entretenimento, não é um filme normal. Não se trata de drama, é puro escapismo”.

Em comunicado, os produtores Michael G. Wilson e Barbara Broccoli expressaram “enorme tristeza” pela morte do diretor.

“Lewis foi um verdadeiro cavalheiro. Fez uma enorme contribuição à indústria do cinema britânico e aos filmes de James Bond. Seus filmes não são adorados apenas por nós, mas são considerados clássicos dentro da série. Vamos sentir muito a sua falta”.

Sobre o Autor

Criador e editor do site James Bond Brasil, Marcos Kontze é jornalista e fã do personagem há 20 anos, desde o lançamento do game "GoldenEye 007" para Nintendo 64 em 1997. Para Marketto (como também é conhecido), o melhor filme da série é "007 - O Mundo Não É O Bastante", o primeiro que assistiu no cinema...sete vezes.