Diferenças criativas, restrições e desentendimentos. Saiba o que pode ter afastado Danny Boyle da direção de Bond 25

0

A notícia da saída de Danny Boyle da direção de Bond 25 na terça-feira (21) pegou não só os fãs, mas todo mundo de surpresa. Faltando pouco mais de três meses para o início das filmagens, o destino da produção agora parece incerto.

Oficialmente, “diferenças criativas” foram as razões que levaram a desistência de Boyle do projeto, conforme publicado nas redes sociais da franquia. No entanto, informações de tabloides ingleses e pessoas supostamente ligadas a produção apontam que outros motivos podem ter sido relevantes para o premiado diretor de “Quem Quer Ser Um Milionário?”, “A Praia” e “Trainspotting”, abandonar o barco.

Danny Boyle © Foto: Juan Naharro Gimenez (Getty Images)

Embora a “grande ideia” que teria convencido a EON Productions a abandonar o script originalmente escrito por Neal Purvis e Robert Wade, e seguir em frente com a história de John Hodge, foi justamente esse roteiro um dos principais motivos da desavença, segundo o The Telegraph. Michael G. Wilson e Barbara Broccoli estariam insatisfeitos com a insistência de concentrar a trama em tensões políticas com a Rússia em um tipo de Guerra Fria contemporânea.

Tomasz Kot © WOJTAL

Entretanto, uma fonte ligada ao jornal revelou que outro fator determinante teriam sido as restrições impostas durante a escolha do elenco, entre elas, a recusa pelo ator polonês Tomasz Kot, que participou de testes de câmera com Danny Boyle. Kot estava sendo testado para ser o vilão principal do filme, e segundo sua representante, o ator de 41 anos reinterpretou diálogos dos últimos vilões da franquia.

Como se isso não bastasse, ainda segundo a publicação, constantes desentendimentos entre Daniel Craig e Danny Boyle podem ter sido a causa definitiva do afastamento do diretor.

“Craig tem uma papel importante em todas as escolhas do elenco. Nenhuma das Bond Girls foi escolhida sem que ele participasse”, revelou a fonte. “Por exemplo, ele foi decisivo na escolha de Eva Green quando restavam apenas quatro finalistas. E tem sido assim com todas as Bond Girls com quem ele trabalhou.”

O que esperar de agora em diante?

Apesar das especulações de que os problemas com a produção poderiam também acarretar na saída de Daniel Craig do papel. Vale destacar que desde 007 Contra SPECTRE, o ator também exerce a função de co-produtor ao lado de Andrew Noakes e David Pope, e justamente por causa disso seu nome também constava no anúncio feito essa semana.

Entretanto, com a saída de Danny Boyle, outra dúvida que surgiu imediatamente foi sobre a permanência do roteirista John Hodge. Embora o anúncio tenha mencionado apenas Boyle, parecia inevitável que Hodge (e outros membros da produção) também fossem desligados de Bond 25. De acordo com Mirror, uma representante do escritor confirmou as suspeitas: “Não, ele não está mais trabalhando no projeto”.

007 Contra SPECTRE © 2015 Danjaq LLC, United Artists Corporation, Columbia Pictures Industries Inc.

O que não ficou claro, é se os produtores agora vão permanecer com o polêmico roteiro de Boyle/Hodge, ou se voltarão para a história desenvolvida por Purvis e Wade, dupla de roteiristas que está na franquia desde 1999.

Até agora, nada foi dito sobre atrasos no lançamento e o filme segue previsto para os dias 25 de outubro de 2019 no Reino Unido e 08 de novembro de 2019 nos Estados Unidos. Ainda assim, especialistas da indústria afirmam que encontrar um novo diretor a tempo de lançar o filme antes de 2020, parece improvável, o que resultaria em um intervalo de cinco anos desde que vimos Bond na telona pela última vez.

There’s no news, like bad news.

Sobre o Autor

Criador e editor do site James Bond Brasil, Marcos Kontze é jornalista e fã do personagem há 20 anos, desde o lançamento do game "GoldenEye 007" para Nintendo 64 em 1997. Para Marketto (como também é conhecido), o melhor filme da série é "007 - O Mundo Não É O Bastante", o primeiro que assistiu no cinema...sete vezes.

Translate »