“Casino Royale”, primeiro livro de James Bond era lançado há 65 anos

0

“Às três da madrugada, a atmosfera de um cassino está impregnada com um odor de fumaça e suor. É quando o jogo alto desperta cobiça, medo e tensão, emoções que corroem as almas e entorpecem os sentidos dos jogadores.” Assim nascia Casino Royale, primeiro livro de James Bond, lançado há 65 anos.

Escrito por Ian Fleming e publicado originalmente no Reino Unido no dia 13 de abril de 1953 pela editora inglesa Jonathan Cape, Casino Royale apresentava pela primeira vez ao mundo, James Bond, o agente secreto 007 com licença para matar.

A primeira edição do livro teve tiragem de 4.728 exemplares, e se esgotou em apenas um mês. Dando continuidade ao sucesso do primeiro livro, Fleming publicou um novo livro do personagem por ano, até a sua morte em 1964.

Foi em Casino Royale que 007 fala pela primeira vez a clássica frase “Bond…James Bond”, e revela a receita para o seu drink de Martini, apelidando-o de “Vesper”, uma homenagem a primeira Bond Girl, Vesper Lynd. O livro também destaca como Bond obteve o duplo-zero que caracteriza sua licença para matar.

Nos Estados Unidos, Casino Royale foi publicado em março do ano seguinte. Com tiragem inicial de 4 mil exemplares, as baixas vendas do livro na América do Norte forçaram a editora a relançar o livro em 1955 com um novo título. Ao contrário das sugestões do próprio Fleming (The Double-O Agent ou The Deadly Gamble), a Popular Library  relançou a obra com o título “You Asked For It”, e apelidou James Bond de “Jimmy Bond”. 

No Brasil, o livro foi lançado originalmente em 1965 pela editora Civilização Brasileira S.A. como Cassino Royale, e mais de 30 anos depois, em 1999, pela editora L&PM. Nos últimos anos, o Grupo Editorial Record relançou o romance em dois momentos distintos. Em 2006 para acompanhar o lançamento do filme naquele ano, e em 2012.

Inspirada pela capa original (decorada com corações imitando um nove de copas e desenhada pelo próprio Ian Fleming), a editora britânica Vintage Classics relançou Casino Royale em 2012 com prefácio do renomado escritor Alan Judd. No mesmo ano, a editora, que é uma subsidiária do grupo inglês The Random House, sob os direitos da Ian Fleming Publications, assumiu os direitos de distribuição dos livros de Ian Fleming pelos próximos 10 anos.

Até hoje, os romances de Ian Fleming já venderam mais de 60 milhões de cópias no mundo inteiro, e ainda servem de inspiração para a mais longa franquia cinematográfica da história do cinema, com 56 anos de sucesso.

Casino Royale também chegou às telas de cinema em três diferentes épocas. Em 1954, em um especial lançado para a TV americana apresentando o ator Barry Nelson no papel de Jimmy Bond. Em 1967, na comédia estrelada por David Niven no papel de James Bond. E finalmente em 2006 com Daniel Craig, estreando no papel do agente secreto, que fez a versão mais fiel do livro com o filme 007 – Cassino Royale.

 

Em Casino Royale, a missão de James Bond é jogar Baccarat contra Le Chiffre, um falido tesoureiro de um sindicato controlado pela SMERSH, em um jogo de altas apostas no Cassino da cidade fictícia de Les-Eaux, no norte da França. Com James Bond usando o disfarce de um bem-sucedido jamaicano, “M” coloca Vesper Lynd como sua assistente. A Deuxième Bureau francesa e a inteligência americana também enviam agentes para observarem a operação, mas logo o jogo se transforma em um confronto intenso entre Le Chiffre e Bond.

Le Chiffre ganha a primeira rodada, e quebra a banca de Bond. Sem poder apostar contra Le Chiffre, Bond conta com a ajuda do agente da CIA Felix Leiter, que o ajuda com um envelope contendo 32 milhões de francos. O jogo continua apesar das tentativas de um dos capangas do tesoureiro em matar 007, o que não impede James Bond de finalmente ganhar 80 milhões de francos de Le Chiffre, pertencentes à organização criminosa.

Desesperado para recuperar o dinheiro, Le Chiffre sequestra Vesper e submete Bond a uma tortura brutal, ameaçando matá-los se ele não conseguir o dinheiro de volta. Antes que ele cumpra sua ameça, um agente da SMERSH elimina Le Chiffre, como punição por perder o dinheiro da organização. Depois de recuperar-se da tortura, Bond cai nas graças de Vesper e cogita abandonar o serviço secreto britânico, mas acaba descobrindo que Vesper Lynd era na realidade uma agente-dupla.

Fascinado pelo mundo da espionagem e por BaccaratIan Fleming imaginou um personagem que fosse uma versão ideal de si mesmo, que trabalhasse para o Serviço Secreto Britânico e que tivesse sorte nos jogos e com as mulheres.

Para o nome de seu personagem, o autor se inspirou em um livro que estava lendo em suas férias na Jamaica, chamado “Birds Of The West Indies”, escrito por um ornitólogo chamado James Bond.

Abaixo você confere algumas das capas das edições de Casino Royale lançadas pelo mundo, inclusive as capas das quatro edições já lançadas no Brasil. Todas elas, com uma breve descrição e histórico sobre os respectivos desenhistas por trás das artes.

Casino Royale foi a primeira adaptação do livro de Ian Fleming, e fez parte da estreia da série de TV Climax! apresentada por William Lundigan. O episódio foi exibido pela primeira vez em 21 de outubro de 1954 na CBS, estrelado por Barry NelsonPeter LorreLinda Christian.

Na época, a rede de televisão americana pagou aproximadamente de US$ 1.000 dólares para Ian Fleming, para poder adaptar seu livro. Apesar de ser baseado no livro do autor, Barry Nelson o interpretou como um agente norte-americano da “Inteligência Combinada”, além de ser chamado de “Jimmy Bond”.

Confira um trecho abaixo:

Com um elenco estelar e trilha sonora composta por ninguém menos que o lendário Burt Bacharach, a paródia Casino Royale de 1967 teve cinco diretores, responsáveis por diferentes segmentos do filme. A música “The Look of Love”, interpretada por Dusty Springfield, foi indicada ao Oscar de Melhor Canção Original naquele ano.

Na trama, as coisas estavam decididamente tristes para a Inteligência Britânica. A SMERSH começou a sabotar a estabilidade global e nada menos do que 11 agentes foram abatidos. Para piorar as coisas, seu maior agente, 007, está desfrutando de sua aposentadoria. “M”, juntamente com os chefões da CIA e da KGB, só tem uma esperança: trazer de volta Sir James Bond (David Niven) da aposentadoria, e colocá-lo novamente em ação.

Tendo que enfrentar problemas como agentes que se impressionam com mulheres bonitas, um ilusionista (Orson Welles) e um megalomaníaco (Woody Allen), Bond elabora um plano brilhante: “De agora em diante, todos os agentes serão chamados de James Bond, incluindo as garotas.”

O especialista em Baccarat, Evelyn Tremble (Peter Sellers), é escolhido para penetrar no coração da conspiração, mas primeiro ele tem que frequentar a escola de treinamento para James Bond. Com uma trama quase surrealista e um elenco estelar, o Casino Royale de 1967 não passa de uma paródia da franquia, mas que garante diversão pura.

Confira o trailer:

Após décadas de luta na justiça, finalmente em 1999 a EON Productions conseguiu os direitos para refilmar Casino Royale, lançado oficialmente em 2006, com roteiro escrito por Robert Wade, Neal Purvis e Paul Haggis.

Com a saída de Pierce Brosnan no papel de Bond em 2004, Martin Campbell (que já havia dirigido Brosnan em 007 Contra GoldenEye) foi anunciado como diretor de 007 – Cassino Royale., em fevereiro de 2005. Naquele ano, a Sony liderou um consórcio que comprou a MGM, permitindo que ela ganhasse os direitos de distribuição da franquia.

A EON admitiu o uso excessivo de efeitos criados por computação gráfica nos últimos filmes, particularmente em 007 – Um Novo Dia Para Morrer, e demonstraram o desejo de realizar Casino Royale à moda antiga. Mantendo o desejo de mais realismo, os roteiristas queriam que o roteiro fosse o mais fiel possível ao livro de 1953, mantendo a história sombria de Fleming e a caracterização de Bond, e em virtude disso, Pierce Brosnan já não se encaixava mais no que a franquia estava buscando.

Foi então em 14 de outubro de 2005 que Daniel Craig foi anunciado oficialmente como o sexto ator a interpretar James Bond.

O filme marcou o reinício (reboot) da franquia, estabelecendo uma nova linha do tempo e um narrativa feita para não preceder ou suceder qualquer um dos filmes anteriores da série. Isto permitiu que o filme mostrasse um Bond menos experiente e mais vulnerável, e assim, pela primeira vez na série, a personagem de Miss Moneypenny não aparece.

A escolha de elenco do filme envolveu uma enorme busca para encontrar um novo ator para interpretar James Bond, e uma significativa controvérsia em volta de Craig quando ele foi escolhido para suceder Brosnan. Foi aclamado pela crítica, com muitos elogiando particularmente o desempenho e a credibilidade de Daniel Craig no papel, e até hoje foi um dos filmes de maior sucesso da franquia e o preferido de muitos fãs.

Com locações na República Checa, nas Bahamas, Itália e Reino Unido, 007 – Cassino Royale também contou no elenco com Judi Dench, Madds Mikkelsen, Eva Green, Caterina MurinoJeffrey Wright e Giancarlo Giannini. Foi produzido pela EON Productions para a Metro-Goldwyn-Mayer e a Columbia Pictures, sendo o primeiro filme de Bond a ser co-produzido pela Columbia/Sony Pictures. █

Sobre o Autor

Criador e editor do site James Bond Brasil, Marcos Kontze é jornalista e fã do personagem há 20 anos, desde o lançamento do game "GoldenEye 007" para Nintendo 64 em 1997. Para Marketto (como também é conhecido), o melhor filme da série é "007 - O Mundo Não É O Bastante", o primeiro que assistiu no cinema...sete vezes.