Aos 89 anos, morre Roger Moore, o eterno James Bond

0

Com extremo pesar e tristeza no coração, informamos que aos 89 anos morreu Sir Roger Moore. O ator, que interpretou James Bond em sete filmes da série, de 1973 à 1985, faleceu na Suíça após uma rápida luta contra um câncer. A trágica notícia foi confirmada na manhã desta terça-feira, dia 23 de maio, pela família do ator em um comunicado divulgado nas redes sociais.

jbbr_RogerMoore

Abaixo, o comunicado pulicado pela família:

SIR ROGER MOORE KBE

Ator – Embaixador da UNICEF – Escritor

É com o coração pesado que anunciamos que o nosso amado pai, Sir Roger Moore, faleceu hoje na Suíça, após uma curta, porém brava batalha contra o câncer. O amor pelo qual ele estava cercado em seus últimos dias foi tão lindo que não pode ser expresso em palavras.

Sabemos que o nosso amor e admiração serão ampliados muitas vezes, em todo o mundo por pessoas que o conheciam através de seus filmes, seus programas de televisão e seu trabalho apaixonado para a UNICEF, que ele considerava ser sua maior conquista.

A afeição que nosso pai sentia sempre que estava em um palco ou em frente as câmeras, o impulsionava a seguir trabalhando em seu 90º ano, até sua última aparição em novembro de 2016 no palco do Royal Festival Hall de Londres. A multidão o aplaudiu dentro e fora do palco, sacudindo os alicerces do edifício, a poucos metros de onde ele nasceu.

Obrigado Pops por ser você, e por ser tão especial para tantas pessoas.

Nossos sentimentos seguem a apoiar Kristina neste momento difícil, e de acordo com o desejo de nosso pai, haverá um funeral privado em Mônaco.

Deborah, Geoffrey e Christian

Roger Moore foi terceiro ator que deu vida ao personagem James Bond no cinema. Natural de Londres, além atuar no teatro e no cinema, trabalhou como Embaixador da UNICEF durante 25 anos viajando o mundo inteiro promovendo campanhas humanitárias. Também fez pequenas participações em animações e programas de TV.

Antes de tornar-se Bond em Com 007 Viva E Deixe Morrer, ele já era conhecido internacionalmente pelas suas participações nas séries de TV “O Santo” “The Persuaders!”, exibida na década de 70 onde fazia dupla com Tony Curtis.

jbbr_RogerMooreTSWLMAntes mesmo de Sean Connery dar o pontapé inicial na franquia, Roger Moore já era cogitado pelos produtores Albert “Cubby” Broccoli e Harry Saltzmann para encarnar o papel do agente secreto. No entanto, por compromissos contratuais com os programas de TV, não pôde assumir o papel, e assim teve que adiar sua entrada na série alguns anos.

Após a assinatura do contrato, o produtor fez duas exigências: o ator inglês deveria emagrecer e também cortar o cabelo, o que Moore fez sem questionar. Mesmo mais magro e com os cachos aparados, a produção pediu outra vez que emagrecesse mais e cortasse ainda mais o cabelo. Ele cumpriu o que pediam, mas questionou os produtores: “afinal, por que não chamavam um ator mais magro e com o cabelo mais curto para atuar como o agente?”

Para alívio dos fãs, Saltzman e Broccoli insistiram no ator, e Moore adorou. “Nossa, eles realmente permitem que você se torne uma criança realizando suas fantasias!”, comentou durante as filmagens de seu primeiro filme como James Bond, Com 007 Viva E Deixe Morrer.

Com a sua chegada em 1973, trouxe à franquia um tom mais leve e bem-humorado, embora por isso algumas das suas interpretações ficassem marcadas pelos exagero, como em 007 Contra O Foguete Da Morte, filme de 1979 que teve gravações no Brasil.

Roger Moore posa em frente ao carro MP Lafer na Praia de Botafogo no Rio de Janeiro © 1979 LAFER

Roger Moore posa em frente ao carro MP Lafer na Praia de Botafogo no Rio de Janeiro © 1979 LAFER

Em sua autobiografia “My Word Is My Bond”, ele lembrou do país com carinho: “No Brasil, parece que todas as crianças nascem com uma bola nos pés. O esporte é jogado em todo lugar, em lindos estádios até em campos de terra e no asfalto. Na favela, vi um garoto jogando com uma bola feita de jornal amassado e barbante”.

“Quando você representa um personagem por muito tempo, você aprende a conhecê-Io. Sabe exatamente como ele iraá reagir; o que irá dizer e o que está pensando”

Roger Moore

Apesar do humor sarcástico, a ironia e a sempre elegante pose que marcaram a sua versão do personagem, em seus últimos filmes como Bond optou por atuações mais sóbrias e ponderadas, como em 007 Contra Octopussy, um grande sucesso de bilheteria. Enquanto rodava o longa na Índia, ficou chocado com a pobreza do país, tanto que anos mais tarde dedicou sua vida para a nobre causa.

Roger Moore abandonou o papel em 1985, aos 57 anos com o filme 007 Na Mira Dos Assassinos, ao lado de Christopher Walken e Grace Jones. Entretanto, sempre participou de eventos oficiais e Premieres dos filmes que seguiram.

Os produtores Michael G. Wilson e Barbara Broccoli também divulgaram um comunicado, lamentando a morte de Roger Moore:

“Estamos com o coração partido com a notícia da morte de Sir Roger Moore. Nas telas, ele reinventou o personagem James Bond com tremenda habilidade, carisma e humor. Na vida real, ele foi um herói genuíno, trabalhando como Embaixador da Boa Vontade pela UNICEF durante muitos anos, dedicando sua vida a aliviar o sofrimento de crianças em todo o mundo. Ele foi um amigo leal e amado, e seu legado deve viver através de seus filmes e das milhões de vidas que ele tocou. Sentiremos muita falta dele. Nosso amor e pensamentos estão com Deborah, Geoffrey, Christian, seus netos e sua esposa Kristina.”

Em agosto de 1991, foi nomeado Embaixador da UNICEF, onde aproveitou a fama para ajudar e chamar atenção para causas humanitárias. Ainda naquele ano, retornou ao Brasil para empossar Renato Aragão como representante da UNICEF no país, e em setembro do ano 2000, esteve presente com empresários e celebridades brasileiras, incluindo a apresentadora Fernanda Lima, no Castelo de Caras.

Nos últimos anos de vida, Moore fez pequenas participações em programas de TV e no cinema, emprestando até sua voz para animações, como no filme “Cães E Gatos 2: A Vingança De Kitty Gallore” em que dublou o personagem de nome bastante curioso, Tab Lazenby.

Em 2003, foi condecorado como Cavaleiro da Ordem Britânica (KBE) pela Rainha Elizabeth II, pelo trabalho desenvolvido na UNICEF.

EN_01067449_1092

Roger Moore no set de “Com 007 Viva E Deixe Morrer” © 1973 Danjaq LLC, United Artist Corporation.

Em 2008, na autobiografia “My Word Is My Bond”, falou sobre sua carreira e trajetória nos filmes do agente secreto. Suas palestras, “An Evening With Sir Roger Moore”, na qual este que voz escreve teve o imenso prazer de participar, rodaram o Reino Unido sempre com lotação máxima.

Como James Bond, colecionou mulheres. Casou-se três vezes e teve três filhos, Deborah, Geoffrey e Christian. Venceu um câncer de próstata, e vivia em Môncao com sua esposa, a socialite dinamarquesa Christina Tholstru, união que provocou a ira de sua segunda mulher, Luísa Mattioli, com quem viveu por trinta anos, já que Christina era amiga do casal.

Roger Moore trouxe um ar mais suave para o personagem, e foi responsável por gargalhadas em seus filmes, sem nunca perder o tom. Um verdadeiro gentleman, sempre demonstrou orgulho em ter sido James Bond, e sua gratidão pela franquia. Seu legado ficará marcado para sempre no coração de fãs ao redor do mundo. Três atores já vieram depois dele, cada um com uma interpretação diferente. Mas uma coisa é certa, nobody does it better…█

Compartilhe.

Sobre o Autor

Criador e editor do site James Bond Brasil, Marcos Kontze é jornalista e fã do personagem há 20 anos, desde o lançamento do game “GoldenEye 007” para Nintendo 64 em 1997. Para Marketto (como também é conhecido), o melhor filme da série é “007 – O Mundo Não É O Bastante”, o primeiro que assistiu no cinema…sete vezes.