20 curiosidades sobre 007 Contra O Satânico Dr. No, o primeiro filme de James Bond

0

Hoje fazem 55 anos desde o lançamento de 007 Contra O Satânico Dr. No, o primeiro filma da franquia James Bond. Confira agora uma lista com algumas curiosidades do filme.

jbbr_dn_sc_ua_ty

Sean Connery, Ursula Andress e Terence Young © DR. NO 1962 Danjaq LLC, United Artist Corporation. Todos os Direitos Reservados.

  • 007 Contra O Satânico Dr. No não era a primeira opção dos produtores. O filme foi escolhido para ser o primeiro adaptado ao cinema, pois os cineastas não possuíam os direitos do livro Casino Royale. Thunderball fazia parte de uma disputa judicial entre Ian Fleming e Kevin McClory, e Goldfinger teria sido consideravelmente mais caro para filmar, tendo em vista o orçamento limitado para o primeiro filme, então 007 Contra O Satânico Dr. No parecia ser a melhor escolha.
  • Inicialmente Ian Fleming queria que Roger Moore interpretasse James Bond, mas o ator não aceitou o papel pois já estava comprometido com a série de TV “O Santo”. Outros nomes cogitados foram o de Max Von Sydow, Cary Grant, David Niven, Trevor Howard e Rex Harrison.
  • Sean Connery foi contratado após ter seu nome sugerido pela esposa do produtor Albert R. “Cubby” Broccoli, que o tinha visto atuar em “Darby O’Gill And The Little People”.
  • Mesmo aos 32 anos, Sean Connery usou uma peruca nas gravações do filme.
  • O cano da arma fotografado para ser usado na icônica abertura era de uma Colt .45, um revólver de cano curto usado pelo serviço secreto britânico. Durante a sessão de fotos, era preciso que um oficial ficasse no estúdio, devido às leis de armamento na Inglaterra.
  • O homem que aparece na primeira vinheta de abertura (Gun Barrel) não era Sean Connery, e sim o seu dublê Bob Simmons. A explicação do criador da sequências de títulos Maurice Binder é épica: “Naquela época ninguém conhecia Sean Connery nem Bob Simmons, então que diferença faria?” 
  • Falando nele, Bob Simmons é quem dirige ambos os carros, o Sunbeam conversível e o carro fúnebre, na perseguição de carro na montanha.
  • Dr. No quase foi um macaco. Os roteiristas Wolf Mankowitz e Richard Maibaum achavam que o maligno doutor de Ian Fleming era ridículo, uma espécie de Fu Manchu com mão mecânica. Eles reescreveram o personagem como se fosse um pequeno macaco sagüi, e acharam incrível. Mas, os produtores Cubby Broccoli e Harry Saltzman ficaram indignados com a idéia.
  • Ian Fleming ficou tão encantado com Ursula Andress, que no seu livro seguinte, On Her Majesty’s Secret Service, ele mencionou o nome da atriz descrevendo-a como “uma linda estrela do cinema”.
  • A cor do biquíni de Honey Rider no filme na verdade é marfim, e não branco como se achava. Segundo Ursula Andress, a peça “era só um pano, quem iria querer? Eu estava prestes a jogá-lo fora, e um amigo meu disse para não fazer aquilo. Eu o mantive em uma caixa em Los Angeles durante anos.” Em 2001, o biquíni foi vendido em um leilão por £41.125 Libras, mais de vinte e sete vezes o seu salário para atuar no filme, que foi de £1.500 Libras.
  • Todas as vozes femininas do filme foram dubladas por atrizes inglesas não creditadas no filme. A única exceção foi Lois Maxwell, que interpreta a personagem Miss Moneypenny e que teve sua voz mantida.
  • A personagem Sylvia Trench, interpretada por Eunice Gayson, inicialmente seria uma personagem recorrente na série 007, sempre se envolvendo romanticamente com James Bond. Ela também apareceu em Moscou Contra 007, mas não foi incluída em nenhum dos filmes seguintes. O papel de Trench foi inicialmente oferecido a Lois Maxwell.
  • Eunice Gayson foi a primeira e única Bond Girl a aparecer em dois filmes da série 007 interpretando a mesma personagem.
  • Monty Norman está creditado como compositor do tema de James Bond, enquanto John Barry, indiscutidamente o expandiu enquanto orquestrava o filme. Isto levou a décadas de acusações e questões jurídicas. Barry implicava que ele teria composto a música a partir do zero, e Norman alegava que teria sido ele que originalmente que havia escrito o tema para um musical que abandonou em 1959, baseado no livro “A House for Mr. Biswas”. No entanto, em 2001, após um julgamento de cinco dias, o júri concluiu que Monty Norman havia de fato, composto o tema de James Bond.
  • Maurice Binder foi o responsável pela incomum campanha de publicidade para divulgar o primeiro trailer do filme, no qual Sean Connery narrava sua apresentação. Segundo relatos do próprio Binder, os executivos da United Artists odiaram o trailer. Assista o trailer aqui.
  • Ian Fleming queria que seu primo, o ator Christopher Lee, fosse o intérprete do Dr. No. Lee terminou não sendo contratado para o papel, mas atuou em outro filme da série James Bond, 007 Contra O Homem Com A Pistola De Ouro como o vilão Scaramanga.
  • Ian Fleming também convidou o ator Noel Coward para o papel do vilão Dr. No. O ator respondeu dizendo: “Dr. No? No! No! No!”.
  • Uma réplica de um quadro pintado pelo Duque de Wellington que fora roubado em 1960 e nunca mais encontrado pode ser visto na sala de jantar de Dr. No.
  • Após ter estreado nos cinemas italianos, o Vaticano soltou uma nota oficial expressando sua desaprovação à moral pregada no filme.
  • A filial japonesa da United Artists cometeu um erro ao interpretar o título original do filme, acreditando que o filme se chamasse “Dr.? No!”. Com a gafe, vários cartazes com este título chegaram a ser produzidos, contendo ainda a seguinte tagline: “We don’t want a doctor”. O erro foi descoberto pouco antes do lançamento do filme nos cinemas japoneses.
Compartilhe.

Sobre o Autor

Criador e editor do site James Bond Brasil, Marcos Kontze é jornalista e fã do personagem há 20 anos, desde o lançamento do game "GoldenEye 007" para Nintendo 64 em 1997. Para Marketto (como também é conhecido), o melhor filme da série é "007 - O Mundo Não É O Bastante", o primeiro que assistiu no cinema...sete vezes.