jbbr_pageheader_01DN

jbbr_pageheader_trailer

jbbr_pageheader_ficha

Título Original: Dr. No
Duração: 110 min
Lançamento: 05 de Outubro de 1962
Direção: Terence Young
Roteiro: Richard Mailbaum e Johanna Harwood, baseado em livro de Ian Fleming
Produção: Albert R. Broccoli e Harry Saltzman
Música: Monty Norman
Fotografia: Ted Moore
Direção De Arte: Syd Cain
Figurino: Tessa Welborn
Edição: Peter R. Hunt

jbbr_pageheader_elenco

Sean Connery (James Bond)
Ursula Andress (Honey Ryder)
Joseph Wiseman (Dr. No)
Jack Lord (Felix Leiter)
Bernard Lee (M)
Anthony Dawson (Professor Dent)
Zena Marshall (Miss Taro)
John Kitzmiller (Quarrel)
Eunice Gayson (Sylvia Trench)
Lois Maxwell (Miss Moneypenny)
Peter Burton (Major Boothroyd)
Monica van der Syl (Voz de Honey Ryder) 

jbbr_pageheader_sinopse

A primeira missão de 007 no cinema só poderia mesmo acontecer na Jamaica, um paraíso na Terra, segundo a definição do criador do personagem, Ian Fleming, que ali escreveu todos os livros sobre o agente secreto. Será nas belas praias do Caribe que ele irá investigar a morte misteriosa de John Strangways, um membro do Serviço Secreto, e de sua secretária, a senhorita Mary Trueblood. Strangways estava prestes a descobrir quem interceptava os foguetes norte-americanos lançados de Cabo Canaveral. Até chegar à ilha Crab Key, onde vive o maquiavélico cientista Dr. No, James Bond escapará de duas perseguições de carro, de uma tarântula venenosa e da cilada de uma sedutora oriental.

Mas o pior será enfrentar o vilão em seu quartel-general, guardado por capangas fiéis e por um misterioso dragão que cospe chamas. Em sua aventura, o espião contará com a ajuda de Felix Leiter, um agente da CIA, de Quarrel, um dedicado nativo, e do diplomata britânico Playdell-Smith. Mas, acima de tudo, terá a companhia da inesquecível Honey Ryder. A estréia de 007 traz as características que seriam desenvolvidas nos filmes posteriores; o supervilão; as Bond Girls; o Vodka Martini batido e não-mexido; as locações exóticas; o tema musical de Monty Norman e a sequência de abertura idealizada por Maurice Binder.

jbbr_pageheader_cuirosidade 

  • 007 Contra O Satânico Dr. No é o primeiro filme da série James Bond.
  • Inicialmente, estava previsto que o primeiro filme seria 007 Contra A Chantagem Atômica, mas problemas legais com o co-autor do livro fizeram com que os produtores optassem por filmar antes 007 Contra O Satânico Dr. No.
  • A escolha inicial do autor Ian Fleming para interpretar James Bond era o ator Roger Moore, que não aceitou o papel por já estar comprometido com a série televisiva “O Santo”.
  • O personagem James Bond chegou a ser oferecido ao ator Max Von Sydow, que recusou o papel. Além de Von Sydow, outros atores chegaram a ser cogitados para interpretar Bond, como Cary Grant, David Niven, Trevor Howard e Rex Harrison.
  • Sean Connery foi contratado para atuar como James Bond após ter seu nome sugerido pela esposa do produtor Albert R. Broccoli, que o tinha visto atuar em “Darby O’Gill And The Little People”.
  • Ian Fleming, criador do personagem James Bond, queria que seu primo, o ator Christopher Lee, fosse o intérprete do Dr. No. Lee terminou não sendo contratado para o papel, mas atuou em outro filme da série James Bond, 007 Contra O Homem Com A Pistola De Ouro.
  • Após não ter conseguido que Christopher Lee interpretasse Dr. No, Fleming convidou o ator Noel Coward para o papel, que respondeu dizendo: “Dr. No? No! No! No!”.
  • Todas as vozes femininas do filme foram dubladas por atrizes inglesas não creditadas no filme. A única exceção foi Lois Maxwell, que interpreta a personagem Miss Moneypenny e que teve sua voz mantida.
  • A personagem Sylvia Trench, interpretada por Eunice Gayson, inicialmente seria uma personagem recorrente na série 007, sempre se envolvendo romanticamente com James Bond. Ela apareceu ainda em Moscou Contra 007, mas não foi incluída em nenhum dos filmes seguintes. O papel de Trench foi inicialmente oferecido a Lois Maxwell.
  • Eunice Gayson foi a primeira e única Bond Girl a aparecer em dois filmes da série 007 interpretando a mesma personagem.
  • Uma réplica de um quadro pintado pelo Duque de Wellington que fora roubado em 1960 e nunca mais encontrado pode ser visto na sala de jantar de Dr. No.
  • O escritório japonês da United Artists cometeu um erro ao interpretar o título original do filme, acreditando que o filme se chamasse “Dr.? No!”. Assim, vários cartazes com este título chegaram a ser produzidos, contendo ainda o seguinte slogan: “We don’t want a doctor”. O erro foi descoberto pouco antes do lançamento do filme nos cinemas japoneses.
  • Após ter estreado nos cinemas italianos, o Vaticano soltou uma nota oficial expressando sua desaprovação à moral pregada no filme.

 jbbr_pageheader_fotos